Validação do Youth Quality of Life Instrument (YQOL-R) para a população portuguesa

Sara Mendes, Marina Cunha, Ana Xavier, Margarida Couto, Ana Galhardo

Resumo


Objetivo: É incontornável o estatuto que o conceito de qualidade de vida assume hoje na prática e políticas de saúde pública. Na infância e adolescência é ainda escassa a investigação, tornando-se crucial o desenvolvimento de instrumentos de qualidade vida relacionada com a saúde validados para esta população. O presente trabalho tem como objetivo fundamental analisar as qualidades psicométricas e validar a versão portuguesa do Youth Quality of Life (YQOL-R).

Métodos: A amostra é constituída por 507 adolescentes, com idades compreendidas entre os 12 e os 19 anos (M = 15,74; DP = 1,62), a frequentar o 3.º ciclo do ensino básico e ensino secundário de escolas públicas do ensino regular. Para além do citado instrumento a validar, os jovens preencheram também, para a análise da validade convergente e divergente, o Kidscreen-27 e a Escala da Depressão, Ansiedade e Stresse (EADS-21).

Resultados: O YQOL-R apresenta uma estrutura fatorial de quatro fatores, semelhantes à versão original americana (individual, relações sociais, ambiente e qualidade de vida em geral). Possui uma boa consistência interna e uma adequada estabilidade temporal. Mostrou correlações significativas e no sentido esperado com as variáveis em estudo. Foram igualmente encontradas diferenças entre sexos em relação à qualidade de vida, sendo os rapazes a reportarem em média níveis mais elevados de perceção da qualidade de vida, comparativamente às raparigas.

Conclusões: Futuros estudos devem ser realizados em amostras clínicas para confirmação dos dados. Não obstante esta limitação, o presente estudo contribuiu para a disponibilização de um novo instrumento para avaliação da qualidade de vida em crianças e adolescentes, o qual evidenciou boas propriedade psicométricas, apoiando, assim empiricamente, a sua utilização nas práticas de saúde e investigação em amostras da comunidade.




DOI: http://dx.doi.org/10.7342/ismt.rpics.2015.1.2.24

Palavras-chave


Qualidade de vida relacionada com a saúde; Crianças; Adolescentes; YQOL-R; Estudo instrumental

Texto Completo:

PDF HTML

Referências


Cohen, J. (1992). Statistical power analysis for the behavioural sciences. Hillsdale, N. J.: Lawrence Erlbaum Associates.

Costello, A. B., & Osborne, J. W. (2005). Best practices in exploratory factor analysis: Four recommendations for getting the most from your analysis. Practical Assessment, Research & Evaluation, 10(7), 1-9. Retrieved from http://pareonline.net/pdf/v10n7.pdf

Cummins, R. A. (2000). Objective and subjective quality of life: An interactive model. Social indicators research, 52(1), 55–72. doi:10.1023/A:1007027822521

Cummins, R. A. (2005). Moving from the quality of life concept to a theory. Journal of Intellectual Disability Research, 49(10), 699–706. doi:10.1111/j.1365-2788.2005.00738.x

Cunha, M., Xavier, A., & Pinto-Gouveia, J. (2011). A versão portuguesa do Youth Quality Of Life Instrument — research version (YQOL-R) [Portuguese version of the youth quality of life instrument — research version] (Manuscrito não publicado). Coimbra, CINEICC, FPCE da Universidade de Coimbra.

Diener, E. (2000). Subjective well-being: The science of happiness and a proposal for a national index. American Psychologist, 55(1), 34–43. doi:10.1037//0003-066X.55.1.34

Edwards, T. C., Huebner, C. E., Connell, F. A., & Patrick, D. L. (2002). Adolescent quality of life, part I: Conceptual and measurement model. Journal of Adolescence, 25(3), 275-286. doi:10.1006/yjado.470

Ferraz, R. B., Tavares, H., & Zilberman, M. L. (2007). Felicidade: uma revisão [Happiness: A Review]. Revista de Psiquiatria Clínica, 34(5), 234-242. doi:10.1590/S0101-60832007000500005

Fuh, J.-L., Wang, S.-J., Lu, S.-R., & Juang, K.-D. (2005). Assessing quality of life for adolescents in Taiwan. Psychiatry and Clinical Neurosciences, 59(1), 11–18. doi:10.1111/j.1323-1316.2005.01306.x

Gaspar, T., & Matos, M.G. (2008). Qualidade de vida em crianças e adolescentes —Versão portuguesa dos instrumentos KIDSCREEN-52 [Quality of life in children and adolescents. English version of the KIDSCREEN-52 instrument]. Lisboa: Aventura social e saúde.

Hambleton, R. K., Merenda, P. F., & Spielberger, C. D. (2005). Adapting educational and psychological tests for cross-cultural assessment. Mahwah, N.J.: L. Erlbaum Associates.

Harding, L. (2001). Children’s quality of life assessments: A review of generic and health related quality of life measures completed by children and adolescents. Clinical Psychology and Psychotherapy, 8(2), 79–96. doi:10.1002/cpp.275

Hawthorne, G., Richardson, J., & Osborne, R. (1999). The assessment of quality of life (AQoL) instrument: A psychometric measure of health-related quality of life. Quality of Life Research, 8(3), 209–224. doi:10.1023/A:1008815005736

Hill, M. M., & Hill, A. (2002). Investigação por questionário [Research by questionnaire] (2nd. ed.). Lisboa: Edições Sílabo.

International Test Commission. (2010). International Test Commission Guidelines for translating and adapting tests. Retrieved from http://www.intestcom.org

Kline, R. B. (2005). Principles and practice of structural equation modeling. New York: Guilford.

Lovibond, P., & Lovibond, S. (1995). The structure of negative emotional states: comparison of the depression anxiety stress scales (DASS) with the Beck depression and anxiety inventories. Behaviour Research and Therapy, 33(3), 335-343. doi:10.1016/0005-7967(94)00075-U

Marôco, J. (2010). Análise estatística: com utilização do SPSS [Statistical analysis with use of SPSS]. Lisboa: Edições Sílabo.

Meuleners, L. B., Lee, A. H., Binns, C. W., & Lower, A. (2003). Quality of life for adolescents: assessing measurement properties using structural equation modelling. Quality of Life Research, 12(3), 283–290. doi:10.1023/A:1023221913292

Pais-Ribeiro, J. L. (2003). Quality of life is a primary end-point in clinical settings. Clinical Nutrition, 23(1), 121-130. doi:10.1016/S0261-5614(03)00109-2

Pais-Ribeiro, J. L., Honrado, A., & Leal, I. (2004). Contribuição para o estudo da adaptação portuguesa das escalas de ansiedade, depressão e stresse (EADS) de 21 itens de Lovibond e Lovibond [A study of depression, anxiety and stress scale - children (EADS-C)]. Psicologia, Saúde e Doença, 5(2), 229-239.

Pallant, J. (2010). SPSS Survival Manual: A step by step guide to data analysis using SPSS. New York: McGraw-Hill Education.

Patrick, D. L., Edwards, T. C., & Topolski, T. D. (2002). Adolescent quality of life, part II: initial validation of a new instrument. Journal of Adolescence, 25(3), 287-300. doi:10.1006/jado.2002.0471

Pestana, M. H., & Gageiro, J. N. (2008). Análise de dados para ciências sociais: a complementaridade do SPSS (5nd. ed.) [Data analysis for social sciences: The complementarity of SPSS]. Lisboa: Edições Sílabo.

Ravens-Sieberer, U., Auquier, P., Erhart, M., Gosch, A., Rajmil, L., Bruil, J., Power, M., Duer, W., Cloetta, B., Czemy, L., Mazur, J., Czimbalmos, A., Tountas, Y., Hagquist, C., Kilroe, J., & The European KIDSCREEN Group. (2007). The KIDSCREEN-27 quality of life measure for children and adolescents: psychometric results of a cross-cultural survey in 13 European countries. Quality of Life Research, 16(8), 1347-1356. doi:10.1007/s11136-007-9240-2

Ravens-Sieberer, U., Gosch, A., Abel, T., Auquier, P., Bellach, B. M., Bruil, J., Dur, W., Power, M., Rajmil, L., & European KIDSCREEN Group. (2001). Quality of life in children and adolescents: a European public health perspective. Preventivmed, 46(5), 294-302. doi:10.1007/BF01321080

Salum, G. A., Patrick, D. L., Isolan, L. R., Manfro, G. G., & Fleck, M. P. (2012). Youth quality of life instrument-research version (YQOL-R): Psychometric properties in a community sample. Jornal de Pediatria, 88(5), 443-448. doi:org/10.2223/JPED.2193

Seidl, E., & Zannon, C. (2004). Qualidade de vida e saúde: aspetos conceituais e metodológicos [Quality of life and health: Conceptual and methodological aspects]. Cadernos de Saúde Pública, 20(2), 580-588. doi:10.1590/S0102-311X2004000200027

Wallander, J.L., Schmitt, M., & Koot, H. M. (2001). Quality of life measurement in children and adolescents: issues, instruments and applications. Journal of Clinical Psychology, 57(4), 571-585. doi:10.1002/jclp.1029

World Health Organization. (1997). WHOQOL measuring quality of life. Geneva: WHO.

World Health Organization. (1998). WHOQOL annotated bibliography. Geneva: WHO.


Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c) 2015 Sara Mendes, Marina Cunha, Ana Xavier, Margarida Couto, & Ana Galhardo

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

 

 

 


Links rápidos para

Autores

Registe-se como novo autor

Acompanhe o estado das suas submissões

Submeta um novo manuscrito

Atualize os detalhes no seu perfil

Consulte as diretrizes para os autores

Definição de Autoria

 

Links rápidos para

Revisores

 

Registe-se como novo Revisor

Visão geral de uma revisão em curso

Atualize os detalhes no seu perfil

Processo para realizar revisões

Diretrizes adicionais